Rádio

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

10 perguntas essenciais sobre o Ano Santo da Misericórdia

Um ótimo resumo com tudo o que você precisa saber sobre este grande acontecimento da Igreja Católica



No próximo dia 8 de dezembro, festividade da Imaculada Conceição, o Papa Francisco abrirá a Porta Santa na Basílica de São Pedro de Roma, ao mesmo tempo em que serão abertas as portas santas de todas as dioceses do mundo, para que todos possam viver o Jubileu.
Apresentamos, a seguir, 10 perguntas essenciais sobre como viver o Ano Santo, de acordo com a bula papal “Misericordiae vultus” (MV), com a qual o Papa convocou este jubileu.
1. O que é um Ano Santo ou Jubileu Extraordinário?
Na tradição católica, o Jubileu é o ano que a Igreja proclama para que as pessoas se convertam em seu interior e se reconciliem com Deus, por meio da penitência, da oração, da caridade, dos sacramentos e da peregrinação, “porque a vida é uma peregrinação e o homem é um peregrino” (MV 14).
Em todos os anos santos é possível ganhar indulgências, graças especiais que a Igreja concede e que podem ser aplicadas à remissão dos próprios pecados e suas penas, ou também aos defuntos que estão no purgatório.
O lema deste Ano Santo é “Misericordiosos como o Pai”, e a principal intercessora do Jubileu é Nossa Senhora de Guadalupe, Mãe de misericórdia.
A cada 25 anos, a Igreja celebra um Ano Santo Ordinário. O próximo será em 2025. Fora dos anos santos ordinários, a celebração do Ano Santo é “extraordinária”.
2. Por que este Ano Santo é o da misericórdia?
O Papa quis que o tema fosse a misericórdia para nos unir mais ao rosto de Cristo, no qual se reflete a misericórdia do Pai, que é “rico em misericórdia” (MV 1). A misericórdia é superior à justiça. Deus é justo, mas vai muito além da justiça, com sua misericórdia e seu perdão. E é isso que podemos vivenciar neste Ano Santo.
3. Quando começa e quando termina este Ano Santo?
O Ano Santo começa no dia 8 de dezembro de 2015, com a celebração dos 50 anos do final do Concílio Vaticano II, e termina na festa de Cristo Rei, em 20 de novembro de 2016, o último dia do ano litúrgico.
4. O que o Papa pede que façamos?
O Papa Francisco insiste na iniciativa “24 horas para o Senhor, que desejo que seja celebrada em toda a Igreja”, entre a sexta-feira e o sábado antes do 4º domingo da Quaresma, porque “é expressão desta necessidade da oração”.
Além disso, ele aconselha que pratiquemos as obras de misericórdia, além de viver intensamente a oração, o jejum e a caridade na Quaresma (MV 17); também recomenda que nos confessemos, para poder receber melhor as graças do ano jubilar. E que cada um realize uma peregrinação, de acordo com suas capacidades, para atravessar a Porta Santa.
5. É preciso ir a Roma para atravessar a Porta Santa e ganhar indulgências?
Não. Você pode ir à catedral da sua diocese ou às igrejas e basílicas destinadas a isso. Em cada diocese haverá uma Porta Santa e, cruzando-a, você ganhará as indulgências do Ano Santo (quando a peregrinação for acompanhada de confissão, comunhão no dia da peregrinação, um ato de fé – recitação do Credo – e uma oração pelo Papa).
6. O que são as obras de misericórdia?
Existem 14 obras de misericórdia, 7 espirituais e 7 corporais.
Obras de misericórdia corporais:
1-Dar de comer a quem tem fome;
2-Dar de beber a quem tem sede;
3-Vestir os nus;
4-Visitar os doentes;
5-Visitar os presos;
6-Acolher os peregrinos;
7-Enterrar os mortos.
Obras de misericórdia espirituais:
1-Dar bom conselho;
2-Corrigir os que erram;
3-Ensinar os ignorantes;
4-Suportar com paciência as fraquezas do próximo;
5-Consolar os aflitos;
6-Perdoar os que nos ofenderam;
7-Rezar pelos vivos e pelos mortos.
7. O que são e o que fazem os “missionários da misericórdia”?
O Papa Francisco anunciou que enviará padres em todas as dioceses, chamados “missionários da misericórdia”, os quais poderão celebrar missões pregadas nas paróquias e despertar o chamado à misericórdia. Além disso, poderão perdoar pecados muito grandes, como crimes mafiosos, assassinatos cometidos para enriquecer, bem como o gravíssimo pecado da corrupção.
8. É necessário se confessar no Ano Santo?
Durante o Ano Santo, a reconciliação com Deus é vivida especialmente através do sacramento da confissão, muito unido ao da Eucaristia. É aconselhável confessar-se várias vezes ao longo do Jubileu, para experimentar mais profundamente a misericórdia de Deus.
9. Qual é a importância do Ano Santo no pontificado de Francisco?
O centro do pontificado do Papa Francisco é a misericórdia de Deus e, portanto, este ano jubilar é o cume do seu pontificado.
10. O Ano Santo é importante para outras religiões?
A misericórdia “ultrapassa os confins da terra” (MV 23); ela nos relaciona com o judaísmo, como se vê no Antigo Testamento, em que a misericórdia de Deus é evidente; também os relaciona com o islamismo, que atribui ao Criador os nomes de “misericordioso” e “clemente”. O Papa Francisco pede o diálogo com todas as “nobres tradições religiosas” do mundo.

Autor: Salvador Aragonés
Fonte: http://pt.aleteia.org/2015/12/05/10-perguntas-essenciais-sobre-o-ano-santo-da-misericordia/

sábado, 5 de dezembro de 2015

Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas

ANTES DE LER A SAGRADA ESCRITURA
Ó nosso Mestre, Jesus Cristo, que sois o Caminho, a Verdade e a Vida,
fazei-nos aprender a sublime ciência do vosso amor, 
segundo o espírito de São Paulo e da Igreja.
Enviai o vosso Espirito Santo para que nos ensine
e sugira o que vós pregastes.
Ó Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida,
tende piedade de nós.




Leitura Mt 9,35-10,1.6-8





Naquele tempo:
Jesus percorria todas as cidades e povoados,
ensinando em suas sinagogas,
pregando o Evangelho do Reino,
e curando todo tipo de doença e enfermidade.
Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas,
porque estavam cansadas e abatidas,
como ovelhas que não têm pastor.
Então disse a seus discípulos:
'A Messe é grande, mas os trabalhadores são poucos.
Pedi pois ao dono da messe
que envie trabalhadores para a sua colheita!'
E, chamando os seus doze discípulos
deu-lhes poder para expulsarem os espíritos maus
e para curarem todo tipo de doença e enfermidade.
Enviou-os com as seguintes recomendações:
6Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel!
Em vosso caminho, anunciai:
'O Reino dos Céus está próximo'.
Curai os doentes, ressuscitai os mortos,
purificai os leprosos, expulsai os demônios.
De graça recebestes, de graça deveis dar!
Palavra da Salvação.

(Faça alguns minutos de silêncio e permita que a Palavra de Deus fale ao seu coração)

Reflexão
Jesus é o bom pastor que vem ao encontro das ovelhas perdidas da casa de Israel, cumprindo assim as promessas feitas por Deus no Antigo Testamento. De fato, Deus disse pela boca do profeta Jeremias que daria ao seu povo pastores segundo o seu próprio coração e Jesus é o pastor segundo o coração de Deus. Ele disse também pela boca do profeta Ezequiel que ele mesmo apascentaria o seu rebanho, procurando a perdida, indo ao encontro da desgarrada, alimentando a faminta, curando a doente, procurando a perdida e estabelecendo o direito entre elas, e Jesus é o bom pastor, o próprio Deus que se encarna e vem ao encontro do seu rebanho para ser o seu pastor e enviar outros, os pastores da Nova Aliança, para que não haja mais ovelhas sem pastor.

DEPOIS DE LER A SAGRADA ESCRITURA
Ó Jesus divino Mestre, vós tendes palavras de vida eterna.
Eu creio, ó Senhor e Verdade, mas aumentai a minha fé.
Eu vos amo, ó Senhor e Caminho, com todas as minhas forças,
pois vós quereis que cumpramos fielmente os vossos mandamentos.
Eu vos peço, ó Senhor e Vida, vos adoro, vos louvo, vos suplico e vos agradeço
pelo dom da Sagrada Escritura.
Com Maria, lembrarei as vossas palavras,
as conservarei na minha mente
e as meditarei no meu coração.
                               Ó Jesus Mestre, Caminho Verdade e Vida, tende piedade de nós.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Dois cegos, crendo em Jesus, são curados

ANTES DE LER A SAGRADA ESCRITURA
Ó nosso Mestre, Jesus Cristo, que sois o Caminho, a Verdade e a Vida,
fazei-nos aprender a sublime ciência do vosso amor, 
segundo o espírito de São Paulo e da Igreja.
Enviai o vosso Espirito Santo para que nos ensine
e sugira o que vós pregastes.
Ó Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida,
tende piedade de nós.




Leitura Mt 9,27-31

Naquele tempo:
Partindo Jesus, dois cegos o seguiram, gritando:
'Tem piedade de nós, filho de Davi!'
Quando Jesus entrou em casa,
os cegos se aproximaram dele.
Então Jesus perguntou-lhes:
'Vós acreditais que eu posso fazer isso?'
Eles responderam: 'Sim, Senhor.'
Então Jesus tocou nos olhos deles, dizendo:
'Faça-se conforme a vossa fé.'
E os olhos deles se abriram.
Jesus os advertiu severamente:
'Tomai cuidado para que ninguém fique sabendo.'
Mas eles saíram,
e espalharam sua fama por toda aquela região.
Palavra da Salvação.

(Faça alguns minutos de silêncio e permita que a Palavra de Deus fale ao seu coração)

Reflexão
Jesus é reconhecido pelos cegos como o Filho de Davi, como aquele que realiza o que foi prometido por Deus a Davi no tempo em que ele era o Rei de Israel, de lhe dar um sucessor no trono. Mas Deus vai muito além do que foi prometido a Davi e instala, por meio de Jesus, o seu próprio Reino no meio dos homens, o Reino que é infinitamente superior ao Reino de Israel do Antigo Testamento e totalmente diferente dele. Mas só percebe a presença deste Reino quem tem fé, quem não é cego, mas tem os olhos abertos para as realidades espirituais.

DEPOIS DE LER A SAGRADA ESCRITURA
Ó Jesus divino Mestre, vós tendes palavras de vida eterna.
Eu creio, ó Senhor e Verdade, mas aumentai a minha fé.
Eu vos amo, ó Senhor e Caminho, com todas as minhas forças,
pois vós quereis que cumpramos fielmente os vossos mandamentos.
Eu vos peço, ó Senhor e Vida, vos adoro, vos louvo, vos suplico e vos agradeço
pelo dom da Sagrada Escritura.
Com Maria, lembrarei as vossas palavras,
as conservarei na minha mente
e as meditarei no meu coração.
                               Ó Jesus Mestre, Caminho Verdade e Vida, tende piedade de nós.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Aquele que faz a vontade de meu Pai entrará no reino dos céus.

ANTES DE LER A SAGRADA ESCRITURA
Ó nosso Mestre, Jesus Cristo, que sois o Caminho, a Verdade e a Vida,
fazei-nos aprender a sublime ciência do vosso amor, 
segundo o espírito de São Paulo e da Igreja.
Enviai o vosso Espirito Santo para que nos ensine
e sugira o que vós pregastes.
Ó Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida,
tende piedade de nós.




Leitura Mt 7,21.24-27
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
Nem todo aquele que me diz: 'Senhor, Senhor',
entrará no Reino dos Céus, mas o que põe em prática
a vontade de meu Pai que está nos céus.
Portanto, quem ouve estas minhas palavras
e as põe em prática,
é como um homem prudente,
que construiu sua casa sobre a rocha.
Caiu a chuva, vieram as enchentes,
os ventos deram contra a casa,
mas a casa não caiu,
porque estava construída sobre a rocha.
Por outro lado,
quem ouve estas minhas palavras e não as põe em prática,
é como um homem sem juízo,
que construiu sua casa sobre a areia.
Caiu a chuva, vieram as enchentes,
os ventos sopraram e deram contra a casa,
e a casa caiu, e sua ruína foi completa!'
Palavra da Salvação.

(Faça alguns minutos de silêncio e permita que a Palavra de Deus fale ao seu coração)

Reflexão
Somente quem faz a vontade do Pai que está nos céus irá participar plenamente do seu Reino. Jesus veio até nós para nos revelar quem é o Pai, assim como a sua vontade, para que, a partir do seu conhecimento, pudéssemos praticá-la e participar conscientemente do Reino. Por isso, todos os que desejam a vida eterna devem fundamentar a sua existência na palavra de Jesus e procurar viver segundo os valores que ele pregou no Evangelho, colocando em prática a vontade do Pai, que Jesus, ao se fazer homem e vir ao mundo, revelou para todos nós.

DEPOIS DE LER A SAGRADA ESCRITURA
Ó Jesus divino Mestre, vós tendes palavras de vida eterna.
Eu creio, ó Senhor e Verdade, mas aumentai a minha fé.
Eu vos amo, ó Senhor e Caminho, com todas as minhas forças,
pois vós quereis que cumpramos fielmente os vossos mandamentos.
Eu vos peço, ó Senhor e Vida, vos adoro, vos louvo, vos suplico e vos agradeço
pelo dom da Sagrada Escritura.
Com Maria, lembrarei as vossas palavras,
as conservarei na minha mente
e as meditarei no meu coração.
                               Ó Jesus Mestre, Caminho Verdade e Vida, tende piedade de nós.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Jesus cura muitos e multiplica os pães

ANTES DE LER A SAGRADA ESCRITURA
Ó nosso Mestre, Jesus Cristo, que sois o Caminho, a Verdade e a Vida,
fazei-nos aprender a sublime ciência do vosso amor, 
segundo o espírito de São Paulo e da Igreja.
Enviai o vosso Espirito Santo para que nos ensine
e sugira o que vós pregastes.
Ó Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida,
tende piedade de nós.

Leitura Mt 15,29-37






Naquele tempo, Jesus foi para as margens do mar da Galiléia,
subiu a montanha, e sentou-se.
Numerosas multidões aproximaram-se dele,
levando consigo coxos, aleijados, cegos, mudos,
e muitos outros doentes.
Então os colocaram aos pés de Jesus. E ele os curou.
O povo ficou admirado, quando viu os mudos falando,
os aleijados sendo curados,
os coxos andando e os cegos enxergando.
E glorificaram o Deus de Israel.
Jesus chamou seus discípulos e disse:
'Tenho compaixão da multidão,
porque já faz três dias que está comigo,
e nada tem para comer.
Não quero mandá-los embora com fome,
para que não desmaiem pelo caminho.'
Os discípulos disseram:
'Onde vamos buscar, neste deserto,
tantos pães para saciar tão grande multidão?'
Jesus perguntou: 'Quantos pães tendes?'
Eles responderam: 'Sete, e alguns peixinhos'.
E Jesus mandou que a multidão se sentasse pelo chão.
Depois pegou os sete pães e os peixes,
deu graças, partiu-os, e os dava aos discípulos,
e os discípulos, às multidões.
Todos comeram, e ficaram satisfeitos.
e encheram sete cestos com os pedaços que sobraram.
Palavra da Salvação.

(Faça alguns minutos de silêncio e permita que a Palavra de Deus fale ao seu coração)

Reflexão
Todas as promessas que foram feitas no Antigo Testamento a respeito de Jesus começam a ser realizadas. Jesus cura todas as deficiências, de modo que as pessoas, além de não serem mais escravas do mal que possuíam, também podem ser novamente inseridas na vida social, deixando de ser excluídas e dependentes do auxílio dos demais. Jesus também multiplica os pães mostrando que Deus quer a saciedade de todos e que não quer entre os homens a fome e a miséria, pois o Reino de Deus é o reino da abundância de bens e de dons.

DEPOIS DE LER A SAGRADA ESCRITURA
Ó Jesus divino Mestre, vós tendes palavras de vida eterna.
Eu creio, ó Senhor e Verdade, mas aumentai a minha fé.
Eu vos amo, ó Senhor e Caminho, com todas as minhas forças,
pois vós quereis que cumpramos fielmente os vossos mandamentos.
Eu vos peço, ó Senhor e Vida, vos adoro, vos louvo, vos suplico e vos agradeço
pelo dom da Sagrada Escritura.
Com Maria, lembrarei as vossas palavras,
as conservarei na minha mente
e as meditarei no meu coração.
                               Ó Jesus Mestre, Caminho Verdade e Vida, tende piedade de nós.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Jesus exulta no Espírito Santo

ANTES DE LER A SAGRADA ESCRITURA
Ó nosso Mestre, Jesus Cristo, que sois o Caminho, a Verdade e a Vida,
fazei-nos aprender a sublime ciência do vosso amor, 
segundo o espírito de São Paulo e da Igreja.
Enviai o vosso Espirito Santo para que nos ensine
e sugira o que vós pregastes.
Ó Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida,
tende piedade de nós.

Leitura Lc 10,21-24



Naquele momento, Jesus exultou no Espírito Santo e disse:
'Eu te louvo, Pai, Senhor do céu e da terra,
porque escondeste essas coisas aos sábios e inteligentes,
e as revelaste aos pequeninos.
Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado.
Tudo me foi entregue pelo meu Pai.
Ninguém conhece quem é o Filho, a não ser o Pai;
e ninguém conhece quem é o Pai, a não ser o Filho
e aquele a quem o Filho o quiser revelar.'
Jesus voltou-se para os discípulos
e disse-lhes em particular:
'Felizes os olhos que vêem o que vós vedes!
Pois eu vos digo que muitos profetas e reis quiseram ver
o que estais vendo, e não puderam ver;
quiseram ouvir o que estais ouvindo,
e não puderam ouvir.'
Palavra da Salvação.

(Faça alguns minutos de silêncio e permita que a Palavra de Deus fale ao seu coração)

Reflexão
Felizes somos todos nós que nos abrimos à ação da graça divina e reconhecemos a presença de Jesus em nossas vidas. Felizes somos todos nós que aceitamos de bom coração esta presença e acolhemos Jesus. Felizes somos todos nós que nos abrimos à ação do Espírito Santo de modo que, conduzidos por ele, renunciamos à sabedoria do mundo como um fim em si e aceitamos o mistério que nos abre para as realidades eternas e imutáveis. Felizes somos todos nós que somos amados por Deus que, a partir da revelação que nos vem por Jesus, nos permite viver conscientemente aqui na terra as realidades do céu.

DEPOIS DE LER A SAGRADA ESCRITURA
Ó Jesus divino Mestre, vós tendes palavras de vida eterna.
Eu creio, ó Senhor e Verdade, mas aumentai a minha fé.
Eu vos amo, ó Senhor e Caminho, com todas as minhas forças,
pois vós quereis que cumpramos fielmente os vossos mandamentos.
Eu vos peço, ó Senhor e Vida, vos adoro, vos louvo, vos suplico e vos agradeço
pelo dom da Sagrada Escritura.
Com Maria, lembrarei as vossas palavras,
as conservarei na minha mente
e as meditarei no meu coração.
                               Ó Jesus Mestre, Caminho Verdade e Vida, tende piedade de nós.

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Porque dobram os sinos?

“Paris vaut bien une messe!”
A Conferência do Clima de Paris (COP 21) inicia seus trabalhos nesta segunda-feira. O desafio da COP 21 é chegar a um acordo mundial sobre a redução da emissão de gases de efeito estufa que destroem a camada de ozônio da atmosfera, causando aquecimento climático.

O contexto socioambiental e político não poderia ser mais instigante! O aquecimento global está provocando efeitos catastróficos em todo mundo de tal modo que se faz sentir em nossa pele no cotidiano de nossas vidas. Para o Papa Francisco, em sua EncíclicaLaudato Si, não basta reduzir as ações ecologicamente nocivas, como também é necessário uma mudança de atitude em favor de uma ecologia integral, de valorização da vida humana e de respeito ao meio ambiente!
Após a COP 20 do Rio de Janeiro, Paris, como sede da 21ª Conferência, tem também uma força simbólica traduzida pelos valores da fraternidade, solidariedade e igualdade, definidoras da cultura contemporânea ocidental.
Com apenas uma semana de antecedência aos atentados em Paris, na sexta-feira anterior, aconteceu o desastre socioambiental provocado pelo rompimento da barragem de rejeito da mineradora SAMARCO, em Mariana – MG.
Num gesto de solidariedade, o Arcebispo Arquidiocesano de Belo Horizonte, Dom Walmor, e bispos auxiliares, proclamam: “que sejam tocados os sinos das igrejas no dia 30 de novembro, ocasião do início dos trabalhos, em Paris, da COP 21. Ao meio-dia, durante três minutos, sejam tocados os sinos de todas as comunidades das Paróquias, de modo que toda a Arquidiocese de Belo Horizonte, pelo badalar dos sinos, como uma prece, manifeste sua esperança de que as ações ali decididas paralisem o aquecimento global e que também cessem todas e quaisquer formas de terrorismo no mundo.
E, sob o impacto da destruição de vidas humanas, fauna, flora, córregos e rios, de Mariana e cidades ribeirinhas do Rio Doce e afluentes, em Minas Gerais e no Espírito Santo, pela lama avassaladora que se desprendeu das barragens e sob o impacto do terrorismo praticado na França, viveremos um momento oportuno para uma forte manifestação, durante a realização da 21ª Conferência do Clima das Nações Unidas (COP 21)” (www.arquidiocesebn.org.br).

A Escola Superior Dom Helder Câmara, através de seu Programa de Pós-Graduação em Direito Ambiental, Mestrado em Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável, promoveu uma campanha de donativos às vitimas da SAMARCO e instituiu uma Comissão Permanente para discutir, a partir do desastre em Mariana, a legislação, licenciamento e fiscalização da atividade mineradora das Minas Gerais.
Neste dia 30, pontualmente ao meio-dia, quando os sinos estiverem dobrando pela COP 21 e pelas vítimas do desastre em Mariana, a Escola Superior Dom Helder Câmara estará oficializando, em reunião do Colegiado, uma Ação Civil Pública para exigir reparação dos danos ambientais, indenização às vítimas e apoio ao Ministério Público Federal e Estadual na apuração das responsabilidades.
Em coerência com seu Programa de Pós-Graduação, a Comunidade Acadêmica é incisiva ao proclamar que o desenvolvimento econômico, como a mineração e toda atividade industrial, não podem prescindir da sustentabilidade ambiental, do respeito aos direitos fundamentais de nossa gente, da garantia dos direitos socioambientais, especialmente das populações economicamente mais pobres, cujas vidas, existência e trabalho foram violentamente agredidas pelo desastre socioambiental em Mariana.
“Paris bem vale uma missa!” Mariana, as vítimas humanas, o Rio Doce, a fauna, a flora e todo o meio ambiente, bem valem uma missa, nossa solidariedade e ação por justiça socioambiental!
Paulo Umberto Stumpf SJ - Reitor da Dom Helder / Diretor do domtotal
Fonte: domtotal.com

Imediatamente deixaram as redes e o seguiram

ANTES DE LER A SAGRADA ESCRITURA
Ó nosso Mestre, Jesus Cristo, que sois o Caminho, a Verdade e a Vida,
fazei-nos aprender a sublime ciência do vosso amor, 
segundo o espírito de São Paulo e da Igreja.
Enviai o vosso Espirito Santo para que nos ensine
e sugira o que vós pregastes.
Ó Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida,
tende piedade de nós.

Leitura Mt 4,18-22



Quando Jesus andava à beira do mar da Galiléia,
viu dois irmãos:
Simão, chamado Pedro, e seu irmão André.
Estavam lançando a rede ao mar, pois eram pescadores.
Jesus disse a eles: 'Segui-me,
e eu farei de vós pescadores de homens.'
Eles, imediatamente deixaram as redes e o seguiram.
Caminhando um pouco mais, Jesus viu outros dois irmãos:
Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João.
Estavam na barca com seu pai Zebedeu
consertando as redes.
Jesus os chamou.
Eles, imediatamente deixaram a barca e o pai,
e o seguiram.
Palavra da Salvação.

(Faça alguns minutos de silêncio e permita que a Palavra de Deus fale ao seu coração)

Reflexão
No nosso dia a dia devemos estar sempre atentos à presença de Jesus que se aproxima de nós e nos chama para o serviço do Reino. Esta aproximação acontece principalmente a partir dos apelos que chegam até nós nos sofrimentos, nas dores, nas necessidades não satisfeitas, na fome, na miséria, na culpa, na falta de fé, no desconhecimento de Deus, na falta de sentido de vida, na violência, enfim, em tudo o que exige de nós uma resposta de amor, que é o fundamento de todo apostolado, de  todo seguimento de Jesus. Deixando tudo o que estamos fazendo, devemos ser a resposta viva de Deus para todos esses apelos.

DEPOIS DE LER A SAGRADA ESCRITURA
Ó Jesus divino Mestre, vós tendes palavras de vida eterna.
Eu creio, ó Senhor e Verdade, mas aumentai a minha fé.
Eu vos amo, ó Senhor e Caminho, com todas as minhas forças,
pois vós quereis que cumpramos fielmente os vossos mandamentos.
Eu vos peço, ó Senhor e Vida, vos adoro, vos louvo, vos suplico e vos agradeço
pelo dom da Sagrada Escritura.
Com Maria, lembrarei as vossas palavras,
as conservarei na minha mente
e as meditarei no meu coração.
                               Ó Jesus Mestre, Caminho Verdade e Vida, tende piedade de nós.

sábado, 9 de maio de 2015

Maria foi Discípula, depois Mestra

PARTE 5
Maria Discípula e Missionária



O Padre Alberione proclama também a missão materna de Maria em relação à Igreja: “A Igreja é confiada a Maria. Na criação, na redenção, na distribuição das graças e na glória, Maria ocupa um lugar proeminente. Sempre para dar Jesus Cristo ao mundo e a cada alma. É Mãe de Deus e da Igreja. Todos os bens passam por Maria. De Maria, a vida. Ela é nossa mãe” (VH XXII).
Não só a missão de Maria como também a missão da Igreja é vista a partir dos títulos de Cristo: “Jesus Cristo elege os doze, que chamou de apóstolos, para continuar e dilatar, no mondo, sua missão. Designa a Igreja.... para continuar a ser nela o Caminho, a Verdade e a Vida...Bendito sejais, porque estabelecestes a Igreja como nossa Mestra, Mae e Guia... Meditarei sempre a vossa palavra: ‘Como o Pai me enviou, assim eu vos envio’: pregai, guiai e santificai todos” (VH XI; cf. XVIII, XIX, XX).
Assume uma importância especial observar que, para o Padre Alberione, o título Rainha dos Apóstolos tem seu enfoque não em “rainha”, mas em “apóstolos”, ou seja quer afirmar o quanto Maria é Apóstola. Em outras palavras: como discípula de Jesus Caminho e Rei ela é também a missionária por excelência: “O apostolado nosso é uma irradiação de Jesus Cristo. É ao mundo dar todo Jesus Cristo: Caminho, Verdade e Vida. Maria participa nele mais que todos os Doutores, os Pregadores, os Missionários. É Apóstola e Rainha de todo apostolado por predestinação e vocação eterna de Deus”[1].
A descrição quem é o apostolo, feita pelo Bem-aventurado Tiago Alberione, se aplica de modo especial a Maria:
“Apóstolo é quem leva Deus na própria alma e o irradia ao redor de si. É um santo que acumula tesouros, e comunica o que excede às almas. É um coração que ama tanto a Deus e os homens, e não pode mais comprimir em si quanto sente e pensa. É um ostensório que contém Jesus Cristo, e expande uma luz inefável ao redor de si. É um vaso de eleição que reversa, porque cheio demais, e de sua plenitude todos podem gozar. É um templo da Santíssima Trindade, a qual é sumamente operante; de todos os poros transpira Deus: com as palavras, as obras, as orações, os gestos, as atitudes; privadamente e em público. Agora, com este retrato, examinai o rosto de pessoas, próximas ou distantes: reconheceis nele o apóstolo? Em sumo grau, com inatingível semelhança é o resto de Maria. Seguirá depois Paulo”[2].
Todos estes ensinamentos do Bem-aventurado Tiago Alberione sobre Cristo e Maria encontram uma ressonância muito atual no Documento de Aparecida, que, do ponto de vista mariano, insistiu mais no aspecto do seguimento e da imitação de Maria como discípula e missionária[3]. Podemos pensar que se vivesse hoje o Padre Alberione subscreveria as seguintes afirmações:
«Hoje, quando em nosso continente latino-americano e caribenho se quer enfatizar o discipulado e a missão, é ela quem brilha diante de nossos olhos como imagem acabada e fidelíssima do seguimento de Cristo. Esta é a hora da seguidora mais radical de Cristo, de seu magistério discipular e missionário ao qual nos envia o Papa Bento XVI: "Maria Santíssima, a Virgem pura e sem mancha, é para nós escola de fé destinada a nos conduzir e a nos fortalecer no caminho que conduz ao encontro com o Criador do céu e da terra. O Papa veio a Aparecida com viva alegria para nos dizer em primeiro lugar: Permaneçam na escola de Maria. Inspirem-se em seus ensinamentos. Procurem acolher e guardar dentro do coração as luzes que ela, por mandato divino, envia a vocês a partir do alto”» (N. 270)

                                                            


[1] G. Alberione, Maria Regina degli Apostoli, 1948, p. 18.
[2] Id., p. 34-35.
[3] Os ensinamentos sobre Maria podem ser encontrados especialmente nos números: 1, 37, 43, 99, 141, 261, 262, 265, 266-272, 274, 280, 300, 320, 364, 451, 524, 537, 553.

Vós não sois do mundo

Evangelho do dia: Jo 15,18-21

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
Se o mundo vos odeia,
sabei que primeiro me odiou a mim.
Se fôsseis do mundo,
o mundo gostaria daquilo que lhe pertence.
Mas, porque não sois do mundo,
porque eu vos escolhi e apartei do mundo,
o mundo por isso vos odeia.
Lembrai-vos daquilo que eu vos disse:
'O servo não é maior que seu senhor'.
Se me perseguiram a mim,
também perseguirão a vós.
Se guardaram a minha palavra,
também guardarão a vossa.
Tudo isto eles farão contra vós por causa do meu nome,
porque não conhecem aquele que me enviou.
Palavra da Salvação.

Reflexão
Todas as pessoas vivem segundo uma hierarquia de valores que norteiam a sua existência. Esta hierarquia de valores é determinada pelas experiências da vida, pela educação recebida, pela cultura em geral e pelos conhecimentos adquiridos. Quando uma pessoa é de fato alguém de fé, a fé passa a ser o elemento fundamental da sua hierarquia de valores, toda a sua vida é direcionada para ela e todos os esforços são no sentido de defender e assumir esses valores. Mas quem vive segundo a hierarquia de valores proposta pelo mundo, defende com todas as suas forças os valores do mundo e combate os valores da fé, odiando quem é de Jesus.

Fonte: liturgiadiaria.cnbb.org.br

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Maria foi Discípula, depois Mestra

PARTE 4
Maria e Jesus Verdade, Caminho e Vida



O Bem-aventurado Alberione explica a relação entre Maria Mestra e Jesus Mestre: “Jesus é Mestre enquanto é Caminho, Verdade e Vida; e Maria é, portanto, Mestra porque tem santidade, sabedoria, graça, vida. Jesus é o Mestre absoluto e único; Maria é Mestra por participação, dependência e em relação a Jesus Cristo, assim como é Co-redentora e Rainha por dependência e participação a Jesus Redentor e Rei”[1].
Se como discípula de Jesus Verdade e Mestre Maria se torna Mestra, como discípula de Jesus Caminho e Rei ela recebe o título de Rainha. E é importante notar que no caloroso ambiente da devoção a Maria, na inauguração do Santuário Rainha dos Apóstolos, Alberione indica uma missão social que podemos atribuir principalmente ao título de Rainha. Título este que recebeu uma consagração especial com a proclamação da festa de Maria Rainha, instituída por Pio XII no ano mariano de 1954, mediante a encíclica Ad caeli reginam, publicada no dia 11 de outubro.
Por uma feliz coincidência nos fins de 1954 estava sendo acabada a construção do Santuário-Basílica da Rainha dos Apóstolos em Roma, consagrado e aberto ao culto no dia 30 de novembro.
Numa memorável hora de adoração o Bem-aventurado Tiago Alberione entregou a Maria o Santuário como agradecimento à Virgem pela proteção durante a guerra e fez esta oração:
“Tu, ó Maria, tens uma missão social:
Primeiro: santificaste uma casa, domicílio das virtudes doméstica; guarda a primeira sociedade que é a família.
Segundo: deste início à vida religiosa com o voto de virgindade e a observância de uma perfeita obediência e pobreza: guarda a sociedade religiosa.
Terceiro: carregaste nos braços a Igreja nascente, sociedade sobrenatural instituída pelo teu Filho Jesus: guarda a Igreja.
Quarto: a ti foi confiada a humanidade, da qual es mãe espiritual e que deve irmanar-se numa sociedade supranacional: graças a Ti se unam os homens na verdade, caridade, justiça: guarda a Sociedade das Nações.
Quinto: Em Jesus Cristo és  a Mãe da civilização, que brota do Evangelho e se realiza na obra da Igreja: guarda a verdadeira civilização”[2].
Como discípula de Jesus Vida e Sacerdote, Maria recebe o título de Mãe, cuja função de maternidade inicia na Encarnação e é proclamada no Calvário: “No Calvário, Maria nos gerou. O mistério da Encarnação consuma-se no mistério da Redenção. Com a sua morte Cristo mereceu-nos definitivamente a graça de vivermos de sua vida. O que era veio à luz. Por conseguinte, assim como a nossa geração espiritual, iniciada no mistério da Encarnação, consumou-se no mistério da Redenção; assim também a maternidade espiritual de Maria, que começa em Nazaré, completou-se no Calvário; e lá foi proclamada”.



[1] G. Alberione, Maria: Discepola e Maestra, Id. p. 2.
[2] G. Alberione, Dedicazione del Santurario della Regina degli Apóstoli, in San Paolo, Novembre-Dicembre 1954, p. 3.

Amai-vos uns aos outros

Evangelho do dia: João 15,12-17

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
Este é o meu mandamento:
amai-vos uns aos outros,
assim como eu vos amei.
Ninguém tem amor maior
do que aquele que dá sua vida pelos amigos.
Vós sois meus amigos,
se fizerdes o que eu vos mando.
Já não vos chamo servos,
pois o servo não sabe o que faz o seu senhor.
Eu chamo-vos amigos,
porque vos dei a conhecer
tudo o que ouvi de meu Pai.
Não fostes vós que me escolhestes,
mas fui eu que vos escolhi
e vos designei para irdes e para que produzais fruto
e o vosso fruto permaneça.
O que, então, pedirdes ao Pai em meu nome,
ele vo-lo concederá.
Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros.
Palavra da Salvação.

Reflexão
Jesus não quer que nós sejamos seus servos, mas seus amigos. O servo trabalha em função do seu salário e não tem nenhum compromisso com o seu senhor além do vínculo do trabalho. O amigo é comprometido com o outro, acredita nos seus valores e luta com ele na conquista de um ideal comum. Assim, quando Jesus nos chama de amigos, ele quer dizer que está compromissado conosco na construção do ideal do Reino de Deus e quer que todos nós também sejamos seus amigos, comprometidos com ele na construção da civilização do amor.

Fonte: liturgiadiaria.cnbb.org.br

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Maria foi Discípula, depois Mestra

PARTE 3
Maria Discípula e Mestra



Para expor seu pensamento sobre o discipulado de Maria, Alberione recorre a uma esplêndida pagina do livro Jesus Mestre, do Padre João Roatta, ao falar da prova de sensibilíssima devoção ao Fundador expressa no Santuário-Basílica Rainha dos Apóstolos, consagrado na conclusão do Ano Mariano, em 1954:
“A função da Virgem-Mãe é aquela de fazer nascer e formar gradualmente Jesus também em todos aqueles que devem “tornarem-se conformes à imagem do seu Filho”. Maria nos está diante como Mãe e Mestra, para nos oferecer um ensaio maravilhoso de como se torna verdadeiros “discípulos” de Cristo, e para nos guiar a construir a pessoa segundo a forma do Verbo.
  Maria de fato é o exemplar suprimo do discipulado, como nos afirma claramente Santo Agostinho: «Para Maria valeu mais o ser discípula de Cristo do que o ser sua Mãe; foi para ela coisa mais feliz o ser discípula sua do que ser Mãe. Por isso Maria era bem-aventurada, porque também, antes de dá-lo à luz, havia carregado em seu seio o Mestre».
É um pensamento que será amplamente desenvolvido por São Bernardo, para nos guiar a estudar as admiráveis disposições da “discípula” perfeita do Altíssimo.
Exemplar perfeito do “discipulado”, Maria se torna o exemplar perfeito do “magistério” ao lado do seu Filho Jesus. Há uma viva relação entre Maria Santíssima e o Mestre da humanidade. Tornada Mãe de Cristo, após ter sido sua “discípula” perfeitíssima, ela se tornou por sua vez Mestra de Cristo, segundo a bela expressão de Santo Efrém: «Ave, ó Maria, que educaste o Cristo comunicador da vida, o Cristo misericordiosíssimo criador e formador de todo o mundo».
Na história pedagógica universal não há nada de mais belo que esta reciprocidade divino-humana, pela qual o eterno Mestre formou para si a Mãe, admirável discípula, para que ela pudesse educá-lo para a forma humana, na qual deveria mostrar-se como Mestre perfeito dos homens.
É por isso que se vai a Jesus Mestre através de Maria, a verdadeira Mestra da humanidade, enquanto educadora de Jesus. Eis a causa da criação de um caloroso ambiente mariano no qual ser perfeitamente dispostos ao encontro com Jesus Cristo”(João Roatta, Jesus Mestre). 

Como meu Pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor.

Evangelho do dia: Jo 15,9-11

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:
Como meu Pai me amou,
assim também eu vos amei.
Permanecei no meu amor.
Se guardardes os meus mandamentos,
permanecereis no meu amor,
assim como eu guardei os mandamentos do meu Pai
e permaneço no seu amor.
Eu eu vos disse isto,
para que a minha alegria esteja em vós
e a vossa alegria seja plena.
Palavra da Salvação.


Reflexão
Os mandamentos que Deus nos deu na verdade constituem-se na grande manifestação do seu amor, pois os mandamentos de Deus nos possibilitam a descoberta dos valores que podem fazer o homem verdadeiramente feliz. O cumprimento dos mandamentos tem dois significados: o primeiro é a correspondência ao amor de Deus que nos amou primeiro, e o segundo é trilhar os caminhos para a verdadeira felicidade, pois o amor faz com que permaneçamos unidos a Deus, que é a única fonte da verdadeira alegria, a alegria plena, que é a alegria da perfeita comunhão com aquele que nos ama com amor eterno.

Fonte: liturgiadiaria.cnbb.org.br

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Maria foi discípula, depois Mestra

PARTE 2
Jesus e Maria ao centro dos dois Testamentos



Pouco depois de publicar a Via Humanitatis o Padre Alberione assim resume o caminho para a contemplação do mistério cristão: “A Criação, a promessa do Redentor, a Encarnação, a Vida de Jesus Cristo, a obra da Igreja, a nossa santificação e a vida futura no Céu têm todas um fio de guia: ao centro está Jesus Cristo Caminho, Verdade e Vida; o final a glorificação de Deus: Uno na natureza e Trino nas Pessoas”[1].
Após ainda dez anos de reflexão o Padre Alberione traça este caminho, apresentando seu desenvolvimento em quatro manifestações de Deus em seu plano: “Querendo manifestar-nos a sua glória e tornar outros seres participantes da sua beatitude, mostrou-se como é: Caminho, Verdade e Vida. Realizou e continua realizando esta obra em quatro manifestações: a criação, a revelação, a Igreja, o céu”[2].
E ao expor os vários pontos desse projeto o Bem-aventurado Tiago Alberione faz esta afirmação lapidar: “Jesus e Maria ao centro dos dois Testamentos”[3].
É interessante notar que, em 1959, logo após a publicação desses ensinamentos destinados a servir como um projeto de enciclopédia de Jesus Mestre, Caminho Verdade e Vida, o Padre Alberione se dedicou a estudar e publicar um escrito sobre Maria (Maria, Discípula e Mestra[4]), em que os títulos Mãe, Mestra e Rainha (paralelos aos de Cristo Vida, Verdade e Caminho) recebem a sua luz da consideração de Maria como Discípula: “Maria foi antes discípula e mestra depois”.



[1] G. Alberione, Introduzione, in Stefano Lamera, Gesú Maestro Via Veritá e Vita, , EP, Alba, 1949.
[2] G. Alberione, Ut perfectus sit homo Dei, II 148-161
[3] G. Alberione, Ut perfectus sit homo Dei, II 156.
[4] G. Alberione, Maria: Discepola e Maestra, in San Paolo, Novembre-Dicembre 1959, pp. 1-10.