Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2011

"MAIS SERVIRA, SE NÃO FORA..."

Pasquale Cipro NetoNa escola nem sempre se ensina que o mais-que-perfeito do indicativo pode ser simples ou compostoA palavra “perfeito” é o particípio de “perfazer”, verbo que, entre outros significados, tem o de “fazer completamente”. Quando se diz, por exemplo, que Chico Buarque compôs “A Banda” na década de 60, emprega-se a forma verbal “compôs” (da terceira pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo) porque o processo em questão é perfeito, ou seja, está totalmente concluído.Quando se diz que aos 20 e poucos anos de idade Chico Buarque já compunha obras-primas, emprega-se “compunha” (do pretérito imperfeito do indicativo) porque o processo em questão, contínuo, habitual, corriqueiro, ocorre num passado cujo fim não se estipula, não se define.Se o pretérito que indica processo totalmente concluído é (por motivos óbvios) o perfeito, aquele que indica fato passado que se repete e cujo fim não se determina é (também por motivos óbvios) o imperfeito.E o bendito “mais-que-p…

Ateísmo ao ateísmo

Imagem
Hoje em dia ainda há muitas pessoas que não crêem em um Deus ou em algum outro ente ao qual se dê o título de “o criador do Universo” e de tudo o que nele existe. Mas isso não é novidade, pois, no passado, também existiram muitas outras pessoas que tiveram o mesmo modo de pensar. Trata-se de um fenômeno que atravessa gerações e que por isso, sempre estará presente enquanto a humanidade existir.O ser humano é racional, possui várias faculdades que nenhum outro ser vivente neste planeta tem. O ser humano sofre, ama, odeia, sente saudades, felicidade, enfim, tantas outras capacidades característica da espécie humana. Mas entre todas elas, destaco uma que é fundamental no contexto do ateísmo: o senso crítico. Aqui não falo da crítica perversa e má que tem por objetivo destruir ou abalar aos outros, mas sim daquela crítica que ajuda, soma, constrói e que faz crescer e amadurecer.Se pensarmos bem, veremos que na realidade é impossível a existência de um ateísmo prático. Veja bem: só pelo fa…

Amor de Índio

(Beto Guedes/Ronaldo Bastos)
Tudo que move é sagrado
E remove as montanhas
Com todo o cuidado
Meu amor
Enquanto a chama arder
Todo dia te ver passar
Tudo viver a teu lado
Com arco da promessa
Do azul pintado
Pra durar

Abelha fazendo o mel
Vale o tempo que não voou
A estrela caiu do céu
O pedido que se pensou
O destino que se cumpriu
De sentir seu calor
E ser todo
Todo dia é de viver
Para ser o que for
E ser tudo

Sim, todo amor é sagrado
E o fruto do trabalho
É mais que sagrado
Meu amor
A massa que faz o pão
Vale a luz do teu suor
Lembra que o sono é sagrado
E alimenta de horizontes
O tempo acordado de viver

No inverno te proteger
No verão sair pra pescar
No outono te conhecer
Primavera poder gostar
No estio me derreter
Pra na chuva dançar e andar junto
O destino que se cumpriu
De sentir seu calor e ser tudo
Sim, todo amor é sagrado.