Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2012

Santo Inácio de Loiola, presbítero

Imagem
Iñigo Lopez de Loyola, este era o seu nome de batismo, nasceu numa família cristã, nobre e muito rica, na cidade de Azpeitia, da província basca de Guipuzcoa, na Espanha, no ano de 1491. O mais novo de treze filhos, foi educado, com todo cuidado, para tornar-se um perfeito fidalgo. Cresceu apreciando os luxos da corte, praticando esportes, principalmente os eqüestres, seus preferidos.
Em 1506, a família Lopez de Loyola estava a serviço de João Velásquez de Cuellar, tesoureiro do reino de Castela, do qual era aparentada. No ano seguinte, Iñigo tornou-se pagem e cortesão no castelo desse senhor. Lá, aprimorou sua cultura, fez-se um exímio cavaleiro e tomou gosto pelas aventuras militares. Era um homem que valorizava mais o orgulho do que a luxúria.
Dez anos depois, em 1517, optou pela carreira militar. Por isso foi prestar serviços a um outro parente, não menos importante, o duque de Najera e vice-rei de Navarra, o qual defendeu em várias batalhas, militares e diplomáticas.
Mas, em …

Provai os espíritos a ver se são de Deus

Da Narrativa autobiográfica de Santo Inácio, recolhida de viva voz pelo Padre Luís Gonçalves da Câmara
(Cap.1,5-9:Acta Sanctorum Iulii,7 [1868],647) (Séc.XVI)
Inácio gostava muito de ler livros mundanos e romances que narravam supostos feitos heróicos de homens ilustres. Assim que se sentiu melhor, pediu que lhe dessem alguns deles, para passar o tempo. Mas não se tendo encontrado naquela casa nenhum livro deste gênero, deram-lhe um que tinha por título A vida de Cristo e outro chamado Florilégio dos Santos, ambos escritos na língua pátria.
Com a leitura freqüente desses livros, nasceu-lhe um certo gosto pelos fatos que eles narravam. Mas, quando deixava de lado essas leituras, entregava seu espírito a lembranças do que lera outrora; por vezes ficava absorto nas coisas do mundo, em que antes costumava pensar.
Em meio a tudo isto, estava a divina providência que, através dessas novas leituras, ia dissipando os outros pensamentos. Assim, ao ler a vida de Cristo nosso Senhor e dos santo…

O Que é o Credo?

Imagem
O Creio é o Resumo da Fé Católica
Desde o início de sua vida apostólica, a Igreja elaborou o que passou a ser chamado de “Símbolo dos Apóstolos”, cujo nome é o resumo fiel da fé dos apóstolos; foi uma maneira simples e eficaz de a Igreja exprimir e transmitir a sua fé em fórmulas breves e normativas para todos. Em seus doze artigos, o 'Creio' sintetiza tudo aquilo que o católico crê. Este é como "o mais antigo Catecismo romano". É o antigo símbolo batismal da Igreja de Roma.
Os grandes santos doutores da Igreja falaram muito do 'Credo'. Santo Ireneu (140-202), na sua obra contra os hereges gnósticos, escreveu: "A Igreja, espalhada hoje pelo mundo inteiro, recebeu dos apóstolos e dos seus discípulos a fé num só Deus, Pai e Onipotente, que fez o céu e a terra (...).Esta é a doutrina que a Igreja recebeu; e esta é a fé, que mesmo dispersa no mundo inteiro, a Igreja guarda com zelo e cuidado, como se tivesse a sua sede numa única casa. E todos são unânimes e…

17º DOMINGO DO TEMPO COMUM

Imagem
"Deus habita em seu templo santo, reune seus filhos em sua casa; é ele quem dá força e poder a seu povo." (Antífona de Entrada)
Leituras: 2Rs 4,42-44; Sl 144(145),10-11.15-16.17-18 (R/. cf. 16); Ef 4,1-6; Jo 6,1-15
Salta à vista o tema do pão na liturgia de hoje: ele aparece claramente na primeira leitura e no evangelho e, de modo implícito, está presente também no salmo. Na tradição bíblia, o pão recorda duas coisas importantíssimas. Lembra-nos, primeiramente, que não somos auto-suficientes, não possuímos a vida de modo absoluto: devemos sempre renová-la, lutar por ela. O homem não se basta a si próprio; precisa do pão de cada dia. E aqui, um segundo importante aspecto: o homem não pode, sozinho, prover-se de pão: é Deus quem faz a chuva cair, quem torna o solo fecundo, quem dá vigor à semente. Assim, a vida humana está continuamente na dependência do Senhor. Portanto, meus caros, todos necessitamos do pão nosso de cada dia – e este é dom de Deus. “O que tens tu, ó homem, que …

VIDA E DIGNIDADE HUMANA (PARTE I)

Entrevista com Dr. Ivanaldo Santos, filósofo, pesquisador e professor universitário
Por Thácio Siqueira
BRASILIA, quinta-feira, 26 de julho de 2012 (ZENIT.org) – O atual debate sobre a Reforma do código penal brasileiro, com a proposta de descriminalização do aborto, etc, está mostrando que estamos vendo chegar ao Brasil propostas de leis contrárias à vida, à moral cristã, e, filosoficamente contrárias ao próprio desenvolvimento e progresso da nação. Para ajudar nesse debate ZENIT entrevistou o Dr. Ivanaldo Santos, doutor em filosofia e autor de inúmeros artigos em revistas especializadas de todo o mundo, perguntando-lhe o significado da vida, visto desde a filosofia. O Dr. Ivanaldo Santos é filósofo, pesquisador e professor universitário. Publicou mais de 70 artigos em revistas científicas nacionais e internacionais e tem 8 livros publicados. Publicamos hoje a primeira parte da entrevista. A segunda parte será publicada amanhã, dia 27 de Julho.
ZENIT: O que é a vida, filosoficamente fa…

VIDA E DIGNIDADE HUMANA (PARTE II)

Entrevista com Dr. Ivanaldo Santos, filósofo, pesquisador e professor universitário
Por Thácio Siqueira
BRASILIA, sexta-feira, 27 de julho de 2012 (ZENIT.org) – Ivanaldo Santos, doutor em filosofia e autor de inúmeros artigos em revistas especializadas de todo o mundo, concedeu uma entrevista à ZENIT com o tema: a vida e a dignidade humana. Publicamos ontem a primeira parte da entrevista (para ler clique aqui). A segunda parte publicamos a seguir:
ZENIT: Um embrião humano é pessoa humana?
DR. IVANALDO: Graças ao projeto genoma e a decifração do DNA humano é possível afirmar que, a partir da primeira célula do novo ser, ou seja, do embrião, formado no ventre da mãe, temos um ser humano completo. O motivo disso é que durante os 9 meses de gestação e mais durante toda a vida pós-nascimento até a morte, nenhum material genético é acrescentado ao indivíduo. Além disso, um feto contém todas as características humanas (respira, sente dor, tem braços, pernas e outras). Vale lembrar que existem e…

“Preparai o Caminho”: evento no Maracanãzinho marca contagem regressiva para a JMJ

Imagem
RIO DE JANEIRO, 24 Jul. 12 / 10:01 pm (ACI).- O Comitê Organizador Local (COL) da JMJ Rio2013 convida toda a cidade do Rio para o primeiro grande encontro preparatório rumo à JMJ Rio2013. O evento acontecerá entre os dias 27 e 29 de julho no Complexo do Maracanã e marcará a contagem regressiva de um ano para a realização da Jornada, iniciada no dia 22 de julho com o evento Bote Fé na Vida. O objetivo é apresentar à sociedade um pouco daquilo que será a JMJ Rio2013.

O encontro acontecerá no Ginásio Maracanãzinho. A programação terá, além das celebrações eucarísticas, com a presença, entre outros, do Núncio Apostólico no Brasil, Dom Giovanni d'Aniello, shows, palestras e o lançamento da campanha de doações para a JMJ Rio2013.

Segundo o Pe. Leandro Lênin do setor Preparação Pastoral em declarações àACI Digital, o evento vai dar ao Rio “um gostinho” do que é uma Jornada Mundial da Juventude.

“Una-se ao Rio, ao Brasil e ao mundo inteiro rumo à JMJ Rio2013”, animam os organizadores.

A progr…

São Joaquim e Sant'Ana, pais de Nossa Senhora

Imagem
Ana e seu marido Joaquim já estavam com idade avançada e ainda não tinham filhos. O que, para os judeus de sua época, era quase um desgosto e uma vergonha também. Os motivos são óbvios, pois os judeus esperavam a chegada do messias, como previam as sagradas profecias.

Assim, toda esposa judia esperava que dela nascesse o Salvador e, para tanto, ela tinha de dispor das condições para servir de veículo aos desígnios de Deus, se assim ele o desejasse. Por isso a esterilidade causava sofrimento e vergonha e é nessa situação constrangedora que vamos encontrar o casal.

Mas Ana e Joaquim não desistiram. Rezaram por muito e muito tempo até que, quando já estavam quase perdendo a esperança, Ana engravidou. Não se sabe muito sobre a vida deles, pois passaram a ser citados a partir do século II, mas pelos escritos apócrifos, que não são citados na Bíblia, porque se entende que não foram inspirados por Deus. E eles apenas revelam o nome dos pais da Virgem Maria, que seria a Mãe do Messias.

No Ev…