Rádio

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

"Espirros orgasmáticos"

Слава Ісусу Христу!


AAATCHIM...


Que delícia! Como é bom espirrar! Eu adoro isso, se pudesse passaria horas e horas espirrando.

Sei lá, é uma sensação muito gostosa, é inexplicável como isso mexe comigo. Parece loucura, alguém que sente prazer em espirrar mas o fato é que sou assim.

Todos sabemos que o espirro é um mecanismo de defesa de nosso organismo, ele serve para explusar qualquer organismo estranho que tente se alojar em nosso sistema respiratório, em nosso nariz. Talvez seja isso o que me deixa excitado quando espirro: a sensação de estar livre de infecções, de doeças respiratórias.

Jamais tente bloquear um espirro quando ele vier! Você pode ter sérios problemas com isso. Vamos liberar geral! Vamos espirrar sem medo, abrindo-nos ao prazer e a vida nova que ele nos dá! Espirremos pois!
Um só coração e uma só alma!
Paz e Bem!

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Letras da minha inércia!

Слава Ісусу Христу!

Cá estou eu novamente!
Hoje é feriado de carnaval. Como sempre eu vou ficar aqui em casa, navegando na internet, comendo, assistindo televisão e ouvindo música (não necessariamente música boa e menos ainda ouvindo por minha vontade). Quer programa melhor do que esse? É claro que gostaria de sair com meus amigos, melhor ainda com meu amado mas isso não é possível, ao menos por enquanto.
Amanhã começa a quaresma, tempo forte de penitência e de conversão. Quero aproveitar bem esse tempo que a Igreja nos proporciona pois quero ser uma pessoa melhor, quero imitar meu Mestre e Senhor, Jesus Cristo.
Então é isso aí!
Tô indo nessa, vou jogar um pouquinho de videogame.
Fui...
Unum core et anima una!
Pax et Bonum!

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

O amado

Слава Ісусу Христу!



Carnaval!!!

Detesto isso, mas tudo bem. Que posso fazer, a maioria dos brasileiros adoram isso. Acho que não sou brasileiro! rsrsrsrsrs...

Mas sei lá, eu não tenho mesmo gosto por isso sabe. Detesto samba, axé, forró. É uma particularidade minha e que faz com que eu me torne único, como cada ser humano é único. Gosto disso, de ser único e de ser diferente.

Tô com soninho! Tô com saudades de meu amado. Mas creio que logo ei de matar minha saudade, minha vontade de revê-lo, de estar com ele. Eu lhe amo muito meu amor! Vou deixar aqui um trecho de um cântico (Ct 5.2-6.2) que retrata muito bem como me sinto, meu amor por você:



Eu durmo, mas meu coração vigia.
É a voz do meu amado a bater:


"Abre-me, ó minha irmã e amada,
minha pomba, minha imaculada,
pois minha cabeça está cheia de orvalho
e meus cabelos, no sereno da noite".


"Tirei minha túnica; vou vesti-la de novo?
Lavei meus pés; vou tornar a sujá-los?"
Meu amado desliza a mão pela abertura
e meu ventre na hora estremece.
Levanto-me para abrir ao amado:
minhas mãos destilam mirra
e meus dedos, cheios de mirra escolhida,
seguram a maçaneta da fechadura.
Então abri ao amado:
mas ele se afastara e passara adiante.
Minha alma se derreteu, por que partira;
procurei-o e não o encontrei,
chamei-o e não me respondeu.
Encontraram-me os guardas
que faziam a ronda da cidade:
bateram em mim e me feriram,
arrancaram-me o manto as sentinelas das muralhas.
Eu vos conjuro, mulheres de Jerusalém:
se encontrardes meu amado,
o que lhe direis?
_"Que eu desfaleço de amor!"


Que tem o teu amado mais que os outros,
ó mais bela das mulheres?
Que tem o teu amado mais que os outros,
para que assim nos conjures?


Meu amado é claro e coroado,
inconfundível entre milhares.
Sua cabeça é ouro puro
e os anéis de seus cabelos, como cachos de palmeira,
negros como o corvo.
Seus olhos são como pombas
à beira dos riachos,
lavadas em leite
e repousando junto a torrentes borbulhantes.
Suas faces são como canteiros de aromas,
como tufos de unguêntos;
seus lábios, como lírios,
destilando mirra escolhida.
Suas mãos sã tornedas em ouro,
cheias de jacintos;
seu ventre é marfim lavrado,
guarnecido de safiras.
Suas pernas são colunas de mármore
sustentadas sobre bases de ouro;
seu aspecto é como o do Líbano,
alto como os cedros.
Seu paladar é só doçura
e todo ele é desejável:
tal é o meu amado
e ele é quem me ama, ó mulheres de Jerusalém.


Para onde foi o teu amado,
ó mais bela das mulheres?
onde se escondeu o teu amado,
para que o procuremos contigo?


Meu amado desceu ao seu jardim,
ao canteiro dos aromas,
para apascentar nos jardins
e colher os lírios.


Eu sou do meu amado
e o meu amado é meu!
e o meu amado é meu!
e o meu amado é meu.

Unum core et anima una!
Pax et Bonum!