Rádio

domingo, 8 de novembro de 2009

Rascunho...

Não sei por onde começar, tenho medo de lhe assustar com o que eu quero lhe dizer. Não sei o que você poderá pensar o como reagirá diante do que eu tenho para lhe revelar. Sinto-me muito inquieto, meu coração bate aceleradamente, as palavras não saem... O fato é que eu me perco todo quando estou diante de você! O Universo, o mundo, as pessoas, as coisas todas desaparecem quando lhe vejo. É só eu e você, você e eu. E nada mais existe além de nós!
Não sei o que você pensará a meu respeito, mas também não me importo com isso! É importante que eu lhe revele isso que tenho sentido nesses último meses. EU ESTOU PERDIDA, COMPLETAMENTE APAIXONADO POR VOCÊ. Pronto! Falei. Agora eu estou nas suas mãos...

Noite Sensível da Alma

"Procure sempre inclinar-se,
não ao mais fácil, e sim ao mais difícil;
não ao mais saboroso, e sim ao mais insípido;
não ao mais gostoso, mas ao que dá menos gosto;
não ao repousante, mas ao trabalhoso;
não ao que consola, mas ao desconsolo;
não ao mais, e sim ao menos;
não ao mais alto e precioso, mas ao mais baixo e desprezível;
não a querer alguma coisa, mas ao nada querer;
não a andar buscando o melhor das coisas temporais, mas o pior;
e desejar entrar em toda nudez, vazio e pobreza
de tudo quanto há no mundo por amor a Cristo.

Convém abraçar de coração essas obras e procurar conformar a elas a vontade... O que foi dito, se bem praticado, bastará para entrar na noite sensível."

(Santa Tereza Benedita da Cruz)

Invocação ou Louvor?

"Sois grande, Senhor, e infinitamente digno de ser louvado" (Sl 95,4). "É grande o vosso poder e incomensurável a vossa sabedoria" (Sl 146,5). O homem, fragmentozinho da criação, quer louvar-Vos; - o homem que publica a sua mortalidade, arrastando o testemunho do seu pecado e a prova de que Vós resistis aos soberbos. Todavia, esse homem, particulazinha da criação, deseja louvar-Vos. Vós o incitaria a que se deleite nos vossos louvores, porque nos criaste para Vós e o nosso coração vive inquieto, enquanto não repousa em Vós.
Concedei, Senhor, que eu perfeitamente saiba se primeiro Vos deva conhecer ou invocar.
Mas quem é que Vos invoca se antes não conhece? Esse, na sua ignorância, corre perigo de invocar outrem. - Ou, porventura, não sois antes invocado para depois serdes conhecido? "Mas como invocarão Aquele em quem não acreditaram? Ou como hão de acreditar, sem que alguém lhes pregue?" (Rm 10,14). "Louvarão ao Senhor aqueles que O buscarem" (Sl 21,27). Na verdade, os que O buscam, encontrá-Lo-ão, e aqueles que O encontraram hão de louvá-Lo.
Que eu Vos procure, Senhor, invocando-Vos; e que Vos invoque, crendo em Vós, pois nos fostes pregado. Senhor, invoca-Vos a fé que me destes, a fé que me inspirastes por intermédio da humanidade de vosso Filho e pelo ministério do vosso pregador.
AGOSTINHO, Santo. Confissões. São Paulo: Editora Nova Cultural, 1999, p 37-38.