Rádio

segunda-feira, 21 de março de 2016

O Instituto São Gabriel Arcanjo

O Instituto “São Gabriel Arcanjo”, como o Instituto “Nossa Senhora da Anunciação”, já na sua denominação, é uma clara referência à Anunciação e ao mistério da Encarnação, no qual ele está inserido, e é prova da fé de Pe. Alberione neste mistério. Por volta dos anos sessenta, o Fundador garantia oralmente aos primeiros membros do Instituto: “Estais inseridos no mistério da Encarnação”.

Fundação
Em setembro de 1955, Pe. Alberione encontra pela primeira vez o jovem de Rímini, Odo Nicoletti, ao qual confidencia que está para fundar um Instituto formado por leigos. “Tão logo acabei de falar sobre minha busca vocacional, Pe. Alberione lentamente ergueu a cabeça – revela Nicoletti –, me olhou intensamente por alguns segundos e com um tom entre o paterno e o autoritário me disse, escandindo bem as palavras: ‘Em nome de Deus, te digo que o teu lugar é no Instituto que eu em breve fundarei; alguns jovens que contatei e que têm dificuldades e desejos semelhantes aos teus já deram a sua adesão… Tereis os votos religiosos, mas vivereis como seculares no mundo sem nenhum hábito especial ou sinal distintivo. Trabalhareis nas escolas, nos escritórios, em toda parte e aproximareis os homens a Deus, sobretudo com o vosso testemunho de vida. Deves ter muita fé, respeito, e te peço para não fazer perguntas’. Havia muita autoridade misturada com bondade por parte de Pe. Alberione, e eu recebi tais palavras com um estado de ânimo dividido entre o reconhecimento a Deus e uma espécie de indefinível tremor íntimo, pois chegavam ‘repentinas’ e eu sentia que eram endereçadas a mim de modo muito especial e compreendia também que exigiam uma resposta muito pessoal e imediata, sem nenhum tipo de escapatória”.

Nos vários diálogos com ele nos três anos (1955-1958) que precederam a fundação do Instituto, Odo Nicoletti recebe sábios conselhos para sua formação espiritual. “Já se passaram cinquenta anos daquele acontecimento para mim providencial – continua Nicoletti –. Resultados do encontro: eu saí daquele diálogo com ânimo mergulhado em uma profunda paz; jamais tive dúvidas a respeito da minha escolha vocacional, somente dificuldades, obviamente, em praticá-la”.

Em 1957, Pe. Alberione encontra muitas vezes Nicoletti; no ano seguinte ainda mais vezes. Em 16 de fevereiro de 1958, confidencia-lhe que será ele o primeiro a fazer parte de um Instituto secular masculino, que a Providência está preparando na Família Paulina.

No verão daquele ano, encontramos uma referência precisa: “O Instituto de São Gabriel assume o nome de São Gabriel Arcanjo – escreve Pe. Alberione – porque quer formar e encaminhar os seus membros a uma vida apostólica de inserção” (CISP 1302s). Ele apresenta como fim geral do Instituto “professar no meio do mundo a total consagração ao Senhor e a plena dedicação ao apostolado”, e como fim especial: “servir e cooperar com a Igreja dando à humanidade Jesus Cristo Mestre, Caminho, Verdade e Vida, mediante a difusão do pensamento cristão, da moral cristã e de meios de elevação da vida individual e social, principalmente em formas modernas” (CISP 1303).

Ao se referir ao Instituto “São Gabriel Arcanjo”, ele repete: “Hoje o laicato católico está em pleno dinamismo e empenhado em muitas atividades. Os melhores sentem viva necessidade de contribuir para salvar a humanidade do materialismo, do ateísmo, do anticlericalismo maçônico. E há muitos jovens e homens que querem buscar a própria santificação numa vida estável, organizada juridicamente e guiada pela obediência, mas sem ingressar nos Institutos tradicionais, ou seja, sem abandonar seu ambiente de vida e de apostolado. A esses se apresenta o Instituto dedicado ao Arcanjo anunciador da Encarnação e da salvação, sob cujo patrocínio Pio XII colocou o cinema, o rádio e a televisão” (UPS III, 108).

Em 8 de setembro de 1958, o Fundador faz a meditação introdutória aos jovens do Instituto “São Gabriel Arcanjo”, que começam os Exercícios espirituais em Albano, em preparação ao noviciado. O dia 12 de setembro daquele ano conclui os Exercícios espirituais dos Gabrielinos, com o rito do ingresso em noviciado dos seguintes nomes: Antonio C., Francisco L., Ezio M., Odo Nicoletti, Luis P., Daniel Pennati, Walter T. Nessa data, 12 de setembro de 1958, considera-se fundado o Instituto “São Gabriel Arcanjo”.

Este primeiro grupo deve ser considerado o iniciador daquele núcleo de Gabrielinos dispostos a deslocar-se, conforme suas possibilidades, para uma forma de colaboração, dirigida e regulamentada, com os apostolados da Pia Sociedade de São Paulo ou de outras instituições da Família Paulina.

No projeto do Fundador isto deveria desenvolver-se cada vez mais, e a Família Paulina receber a colaboração, a “tempo integral” de leigos preparados para enfrentar as crescentes responsabilidades técnico-organizativas, permanecendo firme a continuidade da sua formação que o Instituto lhes deveria garantir.

Surgiram assim os primeiros grupos de Gabrielinos, respectivamente em Turim, Milão, Crema, Florença, onde se encontravam para os retiros mensais. Durante os exercícios espirituais anuais, em Ariccia, na Casa “Divino Mestre” frequentemente Pe. Alberione ia vê-los e dava-lhes as suas meditações e instruções. Continuamente mantinha-se informado sobre o Instituto.

Pe. Ângelo De Simone, ssp.
Conheça os INSTITUTOS PAULINOS DE VIDA SECULAR CONSAGRADA:
Instituto Nossa Senhora da Anunciação (para moças)
Instituto São Gabriel Arcanjo (para rapazes)
Instituto Santa Família (para casais)
Instituto Jesus Sacerdote (para sacerdotes e bispos diocesanos)
Para informações, dirigir-se a: Delegado dos Institutos Paulinos – Via Raposo Tavares, km 18,5 – 05576-200 – São Paulo – SP
institutospaulinos@paulinos.org.br
Visite o nosso site: http://www.paulinos.org.br/novo/institutos

Nenhum comentário:

Postar um comentário