Rádio

segunda-feira, 24 de outubro de 2011


O Encontro da Paz em números



CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 21 de outubro de 2011 (ZENIT.org) – Serão 176 os expoentes das diversas tradições não-cristãs e não-judaicas que participarão do encontro inter-religioso de Assis no próximo dia 27 de outubro.

Os números do próximo Dia de Reflexão, Diálogo e Oração pela Paz e pela Justiça no Mundo – “Peregrinos da verdade, peregrinos da paz” – foram expostos nesta terça-feira, na Sala de Imprensa da Santa Sé por Dom Pier Luigi Celata, secretário do Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-Religioso.

Dos 176 líderes que confirmaram sua presença, 4 representam as religiões tradicionais da Índia, África e América.

Participarão também 18 expoentes das religiões estendidas pela Índia, entre os quais se destacam 5 personalidades hindus com dois acompanhantes, entre eles Rajhmoon Gandhi, já presente no encontro de 1986. Em total, seriam 3 jainistas, 5 sikh, 1 zoroastriano e, pela primeira vez em Assis, 1 bahai.

Das demais religiões asiáticas, estarão presentes 67 budistas provenientes da Coreia do Sul, Sri Lanka, Birmânia, Camboja, Índia, Singapura, Taiwan, Austrália e, pela primeira vez, da China.

O confucionismo terá 3 representantes, um chefe de delegação e dois acompanhantes, todos provenientes da Coreia do Sul.

Também o taoísmo terá 3 representantes, um chefe de delegação e dois acompanhantes, todos eles de Hong Kong.

Duas delegações sintoístas chegarão o Japão, com um total de 17 participantes, bem como de outras 4 denominações diferentes das novas religiões presentes no país.

Dom Celata comentou que a participação dos muçulmanos está condicionada por alguns fatores: número e nível de representatividade, assim como a situação sociopolítica em países árabes com uma forte maioria do Oriente Médio, do norte da África e do Golfo.

Em total, portanto, os representantes do Islã provenientes da África, Europa, América e Ásia Ocidental serão 48 e virão da Jordânia, Israel, Egito, Líbano, Argélia, Marrocos, Irã, Turquia, Arábia Saudita, Albânia, Bósnia e Herzegóvina, Bulgária, Tajiquistão, Reino Unido, França, Itália, Portugal e Estados Unidos.

Das igrejas cristãs não-católicas, chegarão 31 delegações. Das Igrejas Orientais, serão 17, e o patriarca ecumênico, Bartolomeu I, dirigirá a delegação do patriarcado ecumênico de Constantinopla.

Haverá representações do Patriarcado de Moscou, da Igreja Armênia, Sírio-Malancar e Assíria do Oriente.

Entre as igrejas reformadas do Ocidente, figurarão, entre outros, os líderes da comunidade anglicana (arcebispo da Cantuária, Rowan Williams), da Federação Luterana Mundial, da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas, do Conselho Metodista Mundial, da Aliança Batista Mundial, além de uma representação do Conselho Ecumênico das Igrejas.

Entre as comunidades judaicas, participarão delegações do International Comittee on Interreligious Consultation, do Grão-Rabinato de Israel e da Comunidade de Roma, com a participação do rabino-chefe, Riccardo Di Segni.

Dom Melchor José Sanchez de Toca y Alameda, subsecretário do Conselho Pontifício para a Cultura, anunciou os representantes dos não-crentes: Julia Kristeva, psicanalista e filósofa franco-búlgara, pupila de Michel Foucault; Jacques Derida e Roland Barthes; Remo Bodei, professor de Filosofia na Universidade de Pisa; Guillermo Hurtado, filósofo da Universidade mexicana UNAM; e Walter Baier, economista marxista austríaco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário