quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Procuro um abrigo

Procuro abrigo nos corações
de porta em porta desejo entrar.
Se alguém me acolhe com gratidão
faremos juntos a refeição.

Eu nasci pra caminhar assim,
dia e noite; vou até o fim.
O meu rosto o forte sol queimou,
meu cabelo o orvalho já molhou:
Eu cumpro a ordem do meu coração.

Vou batendo até alguém abrir.
Não descanso. O amor me faz seguir
É feliz quem ouve a minha voz,
e abre a porta, entro bem veloz:
Eu cumpro a ordem do meu coração.

Junto a mesa vou sentar depois
e faremos refeição, nós dois.
Sentirá seu coração arder
e esta chama tenho de acender;
Eu cumpro a ordem do meu coração.

Aqui dentro, o amor nos entretém;
e lá fora, o dia eterno vem.
Finalmente nós seremos um,
e teremos tudo em comum!
Eu cumpro a ordem do meu coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário